E-Learning e o futuro

By 15 de maio de 2012E-Learning

O futuro do e-Learning

Atualmente, no ambiente acadêmico, corporativo ou governamental, o uso da plataforma LMS, está sendo comum para o processo de ensino-aprendizagem. A cada dia que passa novas formas de aprendizagem vão aparecendo. Muitos acreditam que o ensino através da tecnologia, será muito mais útil ao passar do tempo. Para isso temos alguns exemplos de como será o e-Learning no futuro:
Popularização de Tecnologias – Hand-Held computers dotados de altíssima capacidade de processamento e armazenamento serão tão comuns entre os jovens como são os celulares hoje, ainda sim, terão um custo muito mais acessível.

Integração de Eletrônicos – como tendência já confirmada atualmente, teremos em um só aparelho várias funcionalidades, como: internet, gravador e reprodutor de vídeo e áudio, câmera digitalizadora, banco de textos e imagens, entre outros; tudo na forma wireless, ou seja, sem fio.

Maior valorização da Andragogia –Haverá mais empresas e consultores trabalhando no estudo da melhor formação de adultos, conforme as competências demandadas pelas empresas.

L-Games (Learning Games) – serão criadas empresas voltadas para criação de jogos educacionais em ambientes LMS, para viabilizar a construção de simulações colaborativas de interação e aprendizagem. Os jovens poderão viver personagens do passado histórico da humanidade, simulando julgamentos em tribunais ou até mesmo sendo personagens de uma obra de Shakespeare, como nos jogos RPG.

Comunidades Peer-to-Peer de e-Learning –
Como nas comunidades colaborativas de sistemas tipo Kazaa ou Imesh, existirão redes de computadores compartilhando informações organizadas por conteúdos específicos de aulas a serem presenciadas, como vídeos, gravações, fotos e documentos.

Weblogs Escolares – Cada aprendiz terá em seu meio de estudo, o seu diário escolar pessoal, que através de uma LMS poderá configurar quem terá ou não acesso a determinadas partes do mesmo, assim, ele poderá repassar seus resumos, anotações, e provas realizadas a outros alunos e turmas mais atrasadas. Aqui se formarão as primeiras comunidades virtuais informais de ensino-aprendizagem.

TSP (Teaching System Provider) – Sistemas Provedores de Ensino serão criados no formato parecido com os Call Centers, de forma a venderem para instituições de ensino interessadas os serviços de “Tira-dúvidas” por matérias, via telefone ou Chat-on-line, para que seus alunos tenham mais opções e ferramentas que lhes facilitem o processo de absorção do conhecimento. Aqui teremos mais uma especialização para o profissional de ensino, o tutor virtual.

Para que esses exemplos tenham um longo caminho, é necessário que haja interação entre professor-tecnologia-aprendiz. Porque a tecnologia por si só, não é capaz de ensinar alguém, por isso ter a combinação com um ser humano muda muito. E cada dia que passa, essa ligação ajudará os futuros profissionais a ter criatividade, conhecimentos diversos e acima de tudo facilitar a vida tecnológica.