Como anda o seu LMS? – Parte 2

By 26 de novembro de 2013E-Learning

No artigo “Como anda o seu LMS? – Parte 1” ajudamos sua empresa a avaliar seu LMS descrevendo quais são os sintomas de um LMS cansado e se sua utilização está sendo efetiva dentro da corporação.

Se identificou com os sintomas? Veja o que fazer:

Bom se você chegou até aqui é porque  concluiu que seu LMS apresenta um ou mais sintomas de cansaço. O que fazer então?  Você pode utilizar a estratégia consagrada pelo grande guru Zeca Pagodinho – deixar a vida te levar e não fazer nada ou decidir empreender uma jornada de mudança.

Se sua opção for pela mudança, comece por:

  • Construir uma visão de futuro e definir a missão do LMS na estratégia de T&D da sua organização.
  • Mobilizar pessoas, buscar sponsors e desenhar um projeto de mudança.

Opções de mudança

#RIPLMS

Sim, você pode eliminar o LMS e utilizar todo o  conjunto de ferramentas (algumas gratuitas) disponíveis na WEB. É uma boa opção, porém lembre-se que mesmo cansado, o LMS possui características e funcionalidades que o tornam praticamente indispensável:

  • Gestão de compliance – cursos e conteúdos obrigatórios
  • Gestão do delivery e do progresso nas ações de capacitação
  • Certificação de conhecimentos
  • Facilidade e concentração da comunicação
  • Métricas

 forcas2
As forças que “seguram” o LMS na Organização

#TURBINARLMS

Na nossa visão essa é uma boa escolha. Você já investiu  em uma plataforma e pode aumentar o retorno do investimento, com algumas medidas:

  1. Transforme o LMS em um HUB, ou seja, o ponto inicial a partir do qual são referenciados todas as ações e recursos para capacitação
  2. Simplifique. Reduza as suas funcionalidades e concentre-se nas suas capacidades principais:
    a. Content delivery
    b. Gestão de compliance
    c. Resposta às questões fundamentais do colaborador: o que devo e o que posso fazer?
    d. Gestão de métricas e indicadores
  3. Inclua calor humano em seu projeto. Aprender on-line não significa aprender sozinho.
  4. Use e abuse dos serviços disponíveis na WEB, tais como Facebook, Youtube, Vimeo, etc. Faça o seu LMS conversar com eles.
  5. Integre com o máximo de processos e ferramentas  possíveis dentro da Organização.
  6. Construa camadas de acordo com os públicos e necessidades do negócio.
    a. Canais de Conteúdo Externo
    b. Redes Sociais
    c. Gamificação
    d. Onboarding
    e. Assessment
    f. Campanhas – estilo AdWords e Analytics

camadas

#PARTIUNOVOLMS

Se decidir pela troca do LMS, conte conosco!

Essa é uma decisão drástica, talvez custosa, que pode trazer algum desgaste interno, entretanto é a única a ser adotada caso o LMS esteja limitando seus passos e, pior: seja tão voltado para o próprio umbigo que não permita nenhuma das melhorias apresentadas no item anterior.

#FICAADICA

Infelizmente não existe um checklist ou uma receita que permita acordar o LMS adormecido. Seja qual for sua decisão:

  • Planeje e execute. Rápido.
  • Conte com a WebTraining nesse processo, seja qual for a sua opção.
  • Avalie e  aprenda com os erros e acertos para iniciar um novo ciclo.

Warning: Unknown: 1 result set(s) not freed. Use mysql_free_result to free result sets which were requested using mysql_query() in Unknown on line 0